Desfolhada

Os textos que nunca tinha tido coragem de escrever... © Reservados todos os direitos de autor dos textos e poemas

quinta-feira, março 02, 2006

Esperança


Sun

O sol caiu no mar vermelho
sem destino definido
sem hora marcada
sem ninguém notar apeteceu-lhe
esta ausência de ruído
em segredo
sentiu-se limitado no espaço
no tempo que corre
há quem fuja de coisa nenhuma
não o privem desta acção voluntária
de não falar
deixem que interrompa a correspondência
que omita explicações
que vá descansar a alma
que se pergunte porque
as coisas acontecem assim
espontâneas, gratuitas, ele sabe
a dor de hoje será a vitória de amanhã
não deixem
que se forme um pedaço de mar
com o vosso pranto
o sol ausentou-se apenas para reflectir
deixou-se mergulhar naquele mar
verde de esperança
o calor está presente
a afeição também

p.s. com beijinhos de melhoras

28 Comments:

Anonymous Anónimo said...

muito bonito e cheio de esperança, vamos esperar pelo nascer do sol e com ele um novo dia cheio de energia renovada e muita fé.
beijos grandes do Infante

5:03 da tarde  
Blogger tecum said...

ao final de tarde, bom mesmo ler estes versos, calorosos, esperançosos.

meu beijo.

5:55 da tarde  
Blogger Ulysses said...

Sou o Sol! A esperança está dentro de mim.

5:38 da tarde  
Blogger Clitie said...

Lindo!

Bjks e bom fim de semana.

10:54 da tarde  
Blogger Fernando Rozano said...

Betty, que bom ler que a esperança não morre jamais neste texto sensível e muito bonito. beijo.

12:50 da tarde  
Blogger mixtu said...

a esperança...
amiga, adorei a ideia do sol que foi repousar... mensagem bonita...
jinhos

3:11 da tarde  
Blogger Desambientado said...

Vale a pena sempre ter Esperança, porque ela obriga-nos a dizer coisas bonitas assim.

7:25 da tarde  
Blogger JPD said...

Muito bonito-
(Como sempre!)
Bjs

7:38 da tarde  
Blogger JL said...

A esperança que se respira aqui que não morra. Nunca!

11:20 da manhã  
Anonymous mestrinho said...

A tarde cai, com ela o rei, deus sol, imperador deste mundo de luz e de cores... Simplesmente sublime.
Um beijo

10:47 da tarde  
Blogger wind said...

Bonito:) A dar força a quem precisa. beijos

12:08 da manhã  
Blogger Thiago Forrest Gump said...

Betty, passei para deixar um abraço. :)

2:19 da tarde  
Blogger Amaral said...

A esperança, última bóia a perder, nesta vastidão em que vivemos, com tanta coisa a acontecer, tantos estados de espírito, tanta solidão interior. A esperança, a aceitação e a confiança!... "O Sol ausentou-se apenas para reflectir…"

4:02 da tarde  
Blogger A Rapariga said...

É bom ler bons textos antes de jantar.
Beijinhos

7:56 da tarde  
Blogger Amaral said...

Dia 8, dia mundial da mulher. Um post, um beijo e uma flor!

11:38 da tarde  
Anonymous Neith said...

Bela a forma como a esperança extrava nestes teus versos :) Um beijo enorme

11:50 da manhã  
Blogger Thiago Forrest Gump said...

Parabéns Betty pelo dia. :)

3:39 da tarde  
Blogger Mestrinho said...

Olá! Passei aqui para deixar um poema/presente à todas as Mulheres.

"No músculo nu que se movimenta, escaldante .
Serpentina, à inércia do toque, com jeito de prosa
A tua beleza cai-te como uma luva,
veste-te somente de ti, Mulher vaidosa.

És ponte que liga duas margens, do eu ao tu
És a flor mais atraente do jardim
Perco-te em volta de grande mistério
E para nomear-te, chamo-te Jasmim

Um coração bem cultivado.
É o perfume gratificante, fruto de ti.
O Jardim precisa desse perfume.
Nestas palavras foi onde cai.

Estas emoções espreguiçam-se no meu corpo.
Penteia-te cem vezes Mulher vaidosa.
E é no espaço do corpo que sinto essa força da aceleração.
Sorri na seiva da minha prosa.

Prepara-te para o amor e agora
Cultiva-te na tua realidade,
Nunca te esqueças da sonhadora
E da sua singularidade." © Mestrinho

Bjos

5:44 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Lindas palavras me deixaste. Gostei de te visitar. Poema lindo, este. É todos precisamos de calma, seja a que horas for, um pouco de introspecção faz sempre bem. Voltarei. Beijo.

2:59 da tarde  
Anonymous Perola said...

Gostei das tuas palavras no meu cantinho. Passei para te conhecer. Gostei do teu poema. Faz sempre bem um pouco de introspecção, mas com o pôr do sol, talvez seja mais profundo o pensamento. Voltarei. Beijo.

3:07 da tarde  
Blogger Alma Minha said...

Transmitiu-me paz este poema...
Obrigado!

3:52 da tarde  
Anonymous Ana said...

Adorei o poema. Às vezes tudo o que quero é estar como esse sol, recolher-me sem cobranças, sem precisar ficar dando explicações e sem que as pessoas fiquem imaginando problemas que não existem.

4:07 da tarde  
Blogger mixtu said...

muito bonito... o sol fonte de vida...
jinhos

1:27 da tarde  
Blogger agua_quente said...

Leio-te já com muito atraso mas a tua poesia é sempre um bálsamo para quem a lê. Que todos possam seguir essa esperança quando a vida lhes prega partidas!
beijos

12:07 da tarde  
Blogger isa xana said...

muito bonito, betty, gostei mesmo do que li

:)

*

8:59 da tarde  
Blogger O Micróbio II said...

Atenção que o Micróbio mudou de casa...
Agora está numa nova rua: http:\\o-microbioii.blogspot.com

12:16 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Gosto de todos os teus poemas , mas especialmente deste.

Fala de Sol, sabe a sol e a sal.

João Norte.

intro.vertido.weblog.com

5:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

se foi inspirado em mim, mto obrigado! na altura em q mo deste, tava tao cdormente, fraco, estupidamentecego, q n tive oportunidade de ver o quao lindo é este poema! cunhadinha escrever palavras bonitas n sei, so sei le-las e chorar por elas como agora o fiz, mais uma vez obrigado por palavras de esperança,tao tao tao... n tenho palavras!! miguel

12:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home