Desfolhada

Os textos que nunca tinha tido coragem de escrever... © Reservados todos os direitos de autor dos textos e poemas

sexta-feira, abril 22, 2005

Segundos

Sopra assim
de mansinho ao ouvido
no silêncio da noite
quero perder-me em ti
nos intervalos dos segundos
entrelaçar as pernas nas tuas
provocar-te arrepios com os dedos
dos pés gelados

Abre devagarinho
com os dedos, as mãos
passeia entre os fios
dos meus cabelos
pé ante pé
sou tua
mesmo quando durmo
escrevo coisas bonitas nos meus olhos
para que me leias a alma
nua
sem maquilhagem

48 Comments:

Anonymous manuel said...

Tens uma alma linda, certamente!

Nas tuas palavras leiam-se as coisa bonitas que escreves nos teus olhos límpidos!

mto belo. beijos

5:22 da tarde  
Anonymous manuel said...

ressalvo "leiem-se"

5:24 da tarde  
Blogger BlueShell said...

Gostei tanto, tanto...
e chorei...não pude evitar!
Acho que não ando bem...
Beijo, BShell

5:49 da tarde  
Blogger paperl life said...

Tão bonito!

:)

5:58 da tarde  
Blogger Nilson Barcelli said...

Obrigado pela tua visita e comentário no meu blogue.
Estive a ler-te uma boa meia hora. Ainda bem que me visitaste, porque só assim foi possível encontrar o que ainda tenho dúvidas em classificar, que, de qualquer modo, será entre o óptimo e o excelente.
A tua poesia, isso sei, é diferente. Soa-me bem, as imagens são nítidas, têm ritmo e, algumas, até poderiam ser musicadas.
Mas vou ter o tempo todo do mundo para te ler, para te ver a escrever coisas bonitas mesmo com os olhos fechados e para poder ver a tua alma sem maquilhagem.
Mas achei piada que, poucos dias depois de ter escrito uma história de elefantes onde uma protagonista se chamava Elizabete (Bety para os amigos), tivesses aparecido tu... Será que és a Bety da minha história? Mas não deves ser tu, porque a tua mãe, quase de certeza que não se chama Gertrudes e nunca foi recepcionista de hotel...
Beijo.

6:05 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Betty
Por segundos se pode amar eternamente....
Um beijo
Daniel

8:22 da tarde  
Blogger wind said...

Lindas palavras neste poema. Dizes o desejo com poesia:) beijos

9:30 da tarde  
Blogger agua_quente said...

Tão bela a tua poesia! Amor, desejo, dito de uma forma tão límpida! Gosto muito, mesmo! Beijos

10:14 da tarde  
Blogger lique said...

Ao mesmo tempo a ternura e o desejo na tua alma nua! Lindo. Beijinhos

10:43 da tarde  
Blogger peciscas said...

O amor é...
poderia ser ilustrado com este poema!

11:48 da tarde  
Blogger azurara said...

Olá.
Confesso que não sei apreciar a poesia. Acho que sou obsessivamente racional. Por isso leio-a como observo um quadro. Gosto ou não gosto. No seu caso gostei. Especialmente do da língua. Que arrepio!
Azurara

12:19 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Quando amamos sentimos que somos sempre da outra pessoa, e amamos pequnos gestos, sonhando sempre com eles, porque passam a faezr parte de nós...Lindo o que escreveste..Um beijo doce
MissLadyMystery -> http://MundoDosSonhos.blogs.sapo.pt

3:38 da tarde  
Anonymous Lovejohn said...

Mesmo com os olhos fechados consegues escrever coisas lindas...lindas como a tua beleza interior, vê-se nas tuas palavras que escreves com o teu coração.
Beijocas

4:00 da tarde  
Blogger Aran said...

Lindo, está belissimo... gostei beijinhos

5:08 da tarde  
Blogger Vênus said...

Betty
Lindas são tuas palavras, lindos são os poemas quando são escritos com sentimento verdadeiro...Como disse a doce BShell alguns poemas que nos roubam lágrimas...
BJS

6:26 da tarde  
Blogger Fernando B. said...


Simplesmente Belo.

Vou colocar-te nos meus Blogs Fraternos.

Também te adicionei ao msn.

Beijocas,

8:11 da tarde  
Blogger Estrela do mar said...

...tenho estado adoentada...passei para te desejar a continuação de um bom fim de semana...

Um beijinho*.

8:18 da tarde  
Blogger Andreia said...

Perder como se o beijo entre eles nao chegasse para alcançarem a alma um do outro e procurassem sempre mais. Sempre ir mais além na descoberta da alma.

:)
Gostei muito do post.

8:34 da tarde  
Blogger jotakapa said...

Gostei destas palavras! O desejo e a ternura estão bem misturados.

8:58 da tarde  
Blogger AS said...

Betty, lindissimo este teu poema!..

Obrigado pela tua simpatia

um beijo

11:48 da tarde  
Blogger ruiluis said...

quente como o desejo, as tuas palavras...uma oasis no deserto...gostei imenso !

12:34 da manhã  
Anonymous sussurros da lua said...

Gostei muito das tuas palavras... muito bonitas e muito sentidas!! Mil beijinhos!!!

2:40 da tarde  
Blogger Piolha said...

Bonito como sempre =) ja não lia à uns tempos mas continuas com a mesma inspiração de sempre! **

3:37 da tarde  
Blogger Mónica said...

Tao bonito ,cheio de sentimento :)
Adorei **

3:38 da tarde  
Blogger JPD said...

Olá Betty!

Se todos seguissem o teu conselho, não haveria iliteracia:
«...escrevo coisas bonitas nos meus olhos/para que me leias a alma/...»
Lindíssomo!
Beijinho!

11:55 da tarde  
Blogger Malae said...

Cara Betty! Muito obrigada pela tua visita à minha Ilha! Principlamente pk me permitiu conhecer o teu cantinho! Gostei muito muito! E vou voltar sempre que poder! Aceita um beijinho meu. Malae**************

1:07 da tarde  
Blogger pipetobacco said...

{ … hoje só te deixo uma flor [um cravo] [] porque a[ti];a[qui] me cravo [sinto] © in[culto] … }

2:46 da tarde  
Blogger Gabriel said...

Olá
Então és poeta também! Vejo que minha audiência em Portugal é exclusivamente de poetas! e mulheres!
"O poeta, nu, revela sua alma"
Deixo te um beijo.

7:16 da tarde  
Blogger MONALISA said...

Que te posso dizer mais uma vez? Gostei...muito. Beijo

11:32 da tarde  
Blogger dam said...

como podem ser encantadoras as palavras...

9:40 da manhã  
Blogger Vulcão said...

Gostei muito!
Muito bonito este teu sentir!

Beijinhos

12:16 da tarde  
Anonymous Dora said...

Um belo poema tecido à luz do desejo. Um beijinho e continuação de boa semana :-)

12:57 da tarde  
Blogger Adryka said...

Olá adorei o sentimento escrito no teu post, que bom que te sentes bem, com o teu amor que felicidade, beijos muitos continua assim

3:49 da tarde  
Anonymous sandra said...

Muito bonito o poema!Beijinhos!

6:32 da tarde  
Blogger trintapermanente said...

embora me seja dificil comentaro que de melhor os outros escrevem. estive aqui a apreciar

9:01 da tarde  
Anonymous Lovejohn said...

Olá Betty, é assim mesmo :) Temos de fazer com que todos os segundos contem. Beijo doce e felicidades

10:37 da tarde  
Blogger Amaral said...

Gostei muito da parte final do teu poema. Significa que tens pureza no olhar e uma alma grande e límpida.
Eu acho que as almas, na sua essência, são assim mesmo, porque não são mais do que a centelha divina que possuimos todos. Mas, em sentido figurado, falamos assim, para expressarmos o quanto sentimos de sincero na pessoa com quem falamos.

12:47 da tarde  
Blogger O Micróbio said...

Sopraste de mansinho ao nosso ouvido e acabámos por nos perdermos em ti...

2:25 da tarde  
Blogger Carmem L Vilanova said...

Gostei muito Betty!
O poeminha é realmente lindo, cheio de ternura...
Bjinhos!

7:18 da tarde  
Blogger bertus said...

...atrasado no tempo, como é meu hábito, não deixo de te dizer que gosto da alma que pões no teu poemar; mais ou menos vestida, leio sempre a tua alma...

Beijos e intés!!

9:44 da tarde  
Blogger Januário said...

Belíssimo Betty!
Bjs

10:57 da tarde  
Blogger Å®t_Øf_£övë said...

Passei por cá hoje para te perguntar se não te importas que te link lá no meu cantinho?

1:44 da manhã  
Blogger gato_escaldado said...

gata em telhado de zinco quente?

belo poema. dois "miaus" . e um beijo

12:24 da tarde  
Blogger Micas said...

Belo, belo. É a única coisa que consigo escrever. Beijo

2:37 da tarde  
Blogger Litostive said...

"Escrevo coisas bonitas nos meus olhos"

Lindo, lindo!...

Um beijo Betty,
Miriam

Alvo Luto
http://litostive.blogspot.com

10:06 da manhã  
Blogger AmigaTeatro said...

=)

12:21 da manhã  
Anonymous zezinho said...

Pq é que qd abro o teu blog nunca me aparece nada Betty?
Tenho em vão tentado comentar.
Adorei ver-te pelo meu mais novo blog.
Um beijo e grato pela visita.

12:06 da tarde  
Blogger Acrónico said...

Leve como uma pena.
Em troca mando-te um meu:

As palavras que dos meus dedos teimam em escorrer
Água da chuva que chove da minha alma
Troquei mais sílabas no turpor
Sem métrica mas mais silêncios da manhã alva
Escorrem e pingam pontos escuros no canto entre o quarto para as sete e a hora certa
Em que chegarás
Ainda de noite coberta.
Por quem?

Visita o meu blog em http://nocturno-lx.oniduo.pt/

5:30 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home